06/05/2021 07:00:00

O que é, como aplicar e quais as etapas do design thinking

A abordagem está em alta no meio corporativo, mas você sabe mesmo o que é e quais são as etapas do design thinking? Descubra agora mesmo.

Inovação é uma das palavras-chave para se referir aos desafios de toda empresa. Como solucionar as dores dos meus atuais e futuros clientes com eficiência e de uma forma nunca feita antes?

Você pode não acreditar, mas a resposta para esta pergunta está na natureza humana. E ela pode ser acessada pelo design thinking, uma abordagem criativa para resolver problemas.

E não é preciso ser designer para adotar esta perspectiva. Todo indivíduo é capaz de desenvolvê-la, desde que receba os estímulos certos.

O que é design thinking

O design thinking é uma abordagem para solucionar problemas de forma inovadora. Geralmente está associado ao desenvolvimento de produtos e serviços, porém o conceito é muito mais amplo.

Tim Brown, referência em design thinking e autor do livro "Design thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias" (2009), explica que a abordagem alia novas tecnologias às necessidades humanas.

"O design thinking se baseia em nossa capacidade de ser intuitivos, reconhecer padrões, desenvolver ideias que tenham um significado emocional além do funcional, expressar-nos em mídias além de palavras ou símbolos"

Tim Brown, em trecho de "Design Thinking - Uma Metodologia Poderosa Para Decretar o Fim Das Velhas Ideias" (2009)

A partir destas características, o design thinking ganha duas funções:

  1. Expandir o conceito de design para solucionar os desafios enfrentados pelas empresas e pela humanidade;
  2. Permitir que todo indivíduo encontre as melhores respostas para os problemas que enfrenta no dia a dia.

A busca por soluções acontece de forma coletiva e colaborativa, entre equipes multidisciplinares.

Esta abordagem é considerada mais humana por fazer um levantamento da experiência cultural, visão de mundo e necessidades reais do indivíduo, sem partir de uma premissa matemática engessada.

Não existe uma fórmula ou um método único para ser usada. O design thinking cria condições para o surgimento de insights, ao reunir pessoas com experiências de vida diferentes.

Todos os envolvidos no processo estão no centro – no caso do desenvolvimento de um produto, o consumidor final e todos os setores da empresa.

Um segmento que se baseia nesta abordagem é o da gamificação, focada em trabalhar a motivação das pessoas a partir da dinâmica dos jogos. Se você quiser se aprofundar mais sobre a área, confira este artigo que explica o conceito de gamificação.

Como aplicar este conceito?

Em uma empresa, o design thinking pode ser adotado por todos os setores, do financeiro à TI. A abordagem é bastante útil na elaboração de novos produtos e serviços, em especial os que envolvem gamificação para engajar o consumidor final.

Saiba como as empresas encontraram na gamificação uma solução para motivar clientes e colaboradores.

Para que ela seja usada com êxito, é preciso criar um ambiente organizacional propício. Basicamente, seus colaboradores devem se sentir seguros e confortáveis de dar novas ideias.

Também é necessário ter dados para basear o projeto. A equipe precisa fazer um levantamento das estatísticas do segmento, do feedback dos clientes e dos serviços oferecidos pela concorrência para que todo o processo de design thinking seja fluido.

As 4 etapas do design thinking

Agora que você já entendeu o conceito, deve estar ansioso para aplicá-lo, não é mesmo?

O design thinking é desenvolvido em etapas. Conheça cada uma delas:

1. Imersão

A primeira etapa do design thinking envolve bastante pesquisa. É preciso investigar tudo o que envolve e afeta a empresa, além de analisar a concorrência.

A imersão inclui análise SWOT, benchmarking, Big Data e feedback dos clientes.

2. Ideação

O brainstorming e os mapas mentais são ferramentas importantes nesta parte do processo. A ideação começa com a identificação dos pontos que precisam ser aprimorados.

Neste momento, a conversa entre a equipe deve fluir. Ninguém deve se sentir constrangido a não compartilhar seus insights.

3. Prototipação

Hora dos testes. A equipe deve escolher quais ideias da etapa anterior que têm maiores chances de darem certo.

Criar protótipos de produtos e serviços é uma forma de reduzir falhas, além de gerar economia para a empresa.

Com os testes realizados, a equipe deve decidir se a ideia já pode ser implementada ou se mais ajustes devem ser feitos.

4. Implementação

Na última etapa do design thinking, é hora de levar a solução ao público. O produto ou serviço já pode ser lançado no mercado, seguindo uma estratégia de comunicação e publicidade estabelecida pela área de marketing.

Lembre-se de que o processo não termina aqui. Um produto sempre pode ser melhorado, a partir da experiência de clientes, fornecedores e colaboradores.


O que você achou do design thinking? Qual problema do seu dia de trabalho poderia ser solucionado com esta abordagem? 💬 Conte aqui nos comentários.

sobre o autor

Olívia Baldissera

Analista de conteúdo da Pós PUCPR Digital. Jornalista e historiadora apaixonada pelo estudo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Próximo conteúdo

O que é pós-graduação e por que você deveria fazer uma?

A abordagem está em alta no meio corporativo, mas você sabe mesmo o que é e quais são as etapas do design thinking? Descubra agora mesmo.

Tempo de leitura

3 min