04/08/2021 07:00:00

7 dicas para um profissional de marketing digital ter um currículo inesquecível

Descubra o que um profissional de marketing digital deve incluir (e deixar de fora) do currículo antes de se candidatar a vaga dos sonhos.

O profissional de marketing digital deixou de ser “o sobrinho que sabe mexer no computador” há alguns anos e, hoje, está na lista de profissões em alta de 2021, ao lado de cientistas de dados e analistas de BI.

Segundo a Robert Walters, os salários na área de marketing digital podem chegar a R$ 30 mil em cargos de gerência, dependendo do porte da organização e do tempo de experiência da pessoa. A transformação digital nas empresas também fez com que a demanda crescesse, o que aumentou o número de vagas – e a disputa por elas.

Como se destacar nos processos seletivos e conquistar a vaga de profissional de marketing digital dos sonhos? A seguir, você aprenderá como construir um currículo inesquecível com 7 dicas práticas. Sabemos que ele é o primeiro contato que headhunters têm com centenas e até milhares de candidatos, por isso ele precisa ser objetivo e, ao mesmo tempo, memorável.

As dicas a seguir foram adaptadas de um artigo publicado no site da American Marketing Association (AMA), que reuniu entrevistas com coaches de carreira e profissionais de RH.

1. Siga a fórmula com criatividade

Um currículo não pode ser chato de ler, em especial se for o de um profissional de marketing digital. Contudo, ele deve apresentar 4 pontos indispensáveis:

  1. Uma frase que resuma sua marca pessoal: coloque suas habilidades de copy em ação. Conte em poucas palavras o valor que você trará à empresa se for contratado como profissional de marketing digital.
  2. Resumo profissional: reúna em um parágrafo as habilidades e conquistas que você teve em sua vida profissional. Elas serão detalhadas mais adiante.
  3. Principais conquistas da carreira: este ponto é essencial para profissionais de marketing digital mais experientes, que já ocuparam cargos de gerência.
  4. Experiência profissional: liste sua formação e cargos ocupados anteriores. Se você estiver no início da carreira, destaque os cursos que você fez. Se já estiver há alguns anos na área, dê preferência aos cargos ocupados em outras organizações.

Depois de abordar o básico, aposte em um layout criativo para seu currículo se destacar. Mostre sua personalidade e tenha em mente que você está fazendo um trabalho de branding consigo mesmo.

2. Seja sucinto (mas tenha conteúdo)

Você não precisa incluir tudo o que você já fez em sua vida profissional no currículo. Lembre-se de que pessoas são contratadas pela capacidade de resolver os problemas da empresa, não somente pela vasta experiência que possuem.

Vale aquela regra de ter um currículo de apenas uma página? Depende. Se aquela vez que você ocupou o cargo de community manager é relevante para a vaga a qual está se candidatando, essa experiência pode e deve ser incluída. O conteúdo irá ditar a quantidade de páginas do currículo.

O ideal é organizar todas as informações em bullet points e parágrafos curtos. Se eles tiverem mais do que três linhas, a leitura já se torna mais cansativa.

3. Foque nos resultados e não nas atividades

Não enumere tudo o que você já fez como profissional de marketing digital. Ao escrever sobre sua experiência em trabalhos anteriores, liste os resultados que você trouxe para empresa.

Um exemplo ilustra bem esta dica: não escreva que você planejou um conteúdo gamificado para as redes sociais, mas que a sua estratégia de gamificação aumentou em 20% a taxa de engajamento da marca.

Uma situação comum é o profissional de marketing digital não lembrar de resultados específicos alcançados em trabalhos anteriores. A orientação aqui é incluir no seu portfólio uma lista de tudo o que foi alcançado com os seus esforços.

Outra dica é se apoiar no storytelling para tornar sua experiência profissional mais interessante para os recrutadores.

4. O LinkedIn é um complemento, não a ferramenta principal

O LinkedIn nunca substituirá o bom e velho currículo, o que não significa que você não deva manter o seu perfil atualizado. Headhunters sempre procurarão informações sobre os candidatos a uma vaga de profissional de marketing digital no Google.

A rede social é o canal onde recrutadores terão um maior contato com sua trajetória profissional e sua personalidade. Capriche nas publicações que você faz por lá e use uma boa foto. E atenção: assim como você não deve mentir no currículo, não invente cargos e cursos no seu LinkedIn, nem inclua habilidades que você não possui.

5. Nunca minta

Sempre é bom reforçar, não é mesmo?

6. Não inclua mais um "objetivo"

Há pouco tempo, profissionais de marketing digital e de outras áreas eram orientados a incluir um "objetivo" em seus currículos, ou seja, qual cargo ou função eles estavam procurando. Hoje isso já é considerado ultrapassado.

O ideal é voltar para a dica 1 e colocar no lugar do objetivo a frase que resuma sua marca pessoal.

Hobbies e interesses também devem ficar de fora, a não ser que sejam relevantes para sua carreira profissional ou mostrem alguma conquista. Se você mantém por hobby um perfil sobre inbound sales no Instagram que é referência para quem trabalha na área, por exemplo, ele pode ser incluído no currículo, por mostrar suas habilidades como profissional de marketing digital.

7. O currículo de um profissional de marketing digital nunca está acabado

Não estamos falando aqui de mantê-lo atualizado, com informações sobre novos jobs que você realiza ao longo do ano. O currículo deve ser adaptado de acordo com a vaga a qual o profissional de marketing digital se candidata.

Cabe ressaltar que mais importante do que lapidar o currículo é investir em networking e autoconhecimento. Eles são determinantes na corrida por uma vaga, muitas vezes sendo um critério de desempate entre dois candidatos.

✉️ Quer receber mais dicas sobre a carreira do profissional de marketing digital? Inscreva-se na News da Pós e receba os melhores artigos sobre negócios e tecnologia diretamente no seu e-mail (e de graça).

sobre o autor

Olívia Baldissera

Jornalista, historiadora e analista de conteúdo da Pós PUCPR Digital.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Próximo conteúdo

Como desenvolver soft skills em 7 dicas práticas

Descubra o que um profissional de marketing digital deve incluir (e deixar de fora) do currículo antes de se candidatar a vaga dos sonhos.

Tempo de leitura

3 min