10/11/2020 15:17:09

O que faz um arquiteto de software? Conheça as possibilidades!

O arquiteto de software é indispensável ao sucesso de um negócio. Mas o que ele faz? Descubra neste artigo e aproveite esta oportunidade de carreira!

Onde atua um arquiteto de software, você sabe? As funções no mercado de TI estão diretamente relacionadas e é comum certa confusão. Afinal, existe uma segmentação de etapas e processos, que devem ser seguidos pelos profissionais para a garantia da boa funcionalidade dos produtos e serviços.

Por ser um setor extremamente amplo, as áreas de atuação tendem ao crescimento e é mais do que necessário que o profissional do setor se especialize. E como sabemos, ainda que estejam relacionados, cada cargo demanda uma habilidade específica.

É nesse contexto em que o arquiteto de software está inserido. Considerado uma peça chave para garantir um bom desempenho dos sistemas, este profissional precisa ter ampla visão estratégica para trazer segurança à operação.

Mas afinal, o que faz um arquiteto de software?

De uma maneira simplificada, podemos dizer que um arquiteto de software é o responsável por mapear o funcionamento do sistema. É quem identifica possíveis problemas e apresenta soluções efetivas.

O profissional tem como foco garantir a conformidade dos processos, das documentações e guias, direcionando a equipe nas atividades. Por isso, deve ter um bom entendimento das múltiplas plataformas e linguagens.

Além disso, precisa realizar diversas atividades como:

  • Se contextualizar sobre as tendências de mercado;
  • Projetar modelo de dados;
  • Analisar interface com usuário;
  • Fazer estimativas para direcionar a equipe e os gerentes;
  • Garantir a gestão de riscos;
  • Verificar a viabilidade do projeto;
  • Solicitar mudanças ou alterações.

Quando se pensa em arquitetura de software sempre é importante lembrar que ela é fundamental para o desempenho dos projetos. Portanto, a prática não se limita à identificação de soluções computacionais, mas também demanda uma análise sobre quais contextos e momentos essas melhorias devem ser empregadas.

Cabe observar, ainda, que o arquiteto de software precisa ter um conhecimento técnico, mas também deve saber se comunicar bem (tanto com a equipe, quanto com os clientes). Além disso, precisa ter familiaridade com a liderança, já que muitas das atividades serão feitas em acordo com as suas decisões.

Conheça os principais tipos de arquitetura de software adotados no setor de TI.

Quais são os benefícios da arquitetura de software?

A medida em que o software é criado e sofre alterações, é normal que surjam problemas. A arquitetura de software atua exatamente para garantir mais segurança nesse processo, fazendo com que a performance do sistema esteja funcionando como previsto.

Assim, ela reflete em mais economia e produtividade para as instituições. Imagine, por exemplo, que uma empresa investe uma grande verba para a criação de um sistema e, no momento de entrega, ocorra um atraso e seja necessário fazer diversas manutenções.

A arquitetura de software auxilia para que isso não aconteça e ainda garante mais escalabilidade nos processos.

Quais são as múltiplas possibilidades na carreira?

Por sua importância no ambiente de TI, o arquiteto de software tem a vantagem de poder atuar em diversos setores. Sabemos que os softwares possuem ampla aplicabilidade, como na criação de aplicativos, automação de processos, aplicações web, jogos, controladores, gestão, dentre tantos outros cenários.

Basicamente, as empresas que se interessam por tecnologia e demandam inovações para seu funcionamento buscam por arquitetos de software para garantir qualidade e atendimento aos seus padrões. Saiba mais sobre a demanda de mercado e o salário do arquiteto de software.

Quem pode atuar na área?

A atuação do arquiteto de software demanda certo grau de senioridade e conhecimento prévio em desenvolvimento de front-end, back-end e full stack.

Portanto, um passo inicial para os que desejam atuar na área é: ter graduação em Ciências da Computação ou estudar Sistemas da Informação para já começar a adquirir domínio sobre as etapas de desenvolvimento de sistemas.

Experiências prévias com programação podem ser um diferencial, já que ajudam no entendimento sobre dados, códigos e linguagens. Além disso, é interessante que o profissional se dedique à conhecer o modelo de negócio em que está inserido, para ter uma postura mais estratégica e organizada.

A especialização é um dos principais caminhos para quem busca colocação no mercado como arquiteto de software. Pensando nisso, a Pós PUCPR Digital preparou o curso Arquitetura de Software, Ciência de Dados e Cybersecurity.

Além de estudar padrões arquiteturais, os alunos aprendem sobre Jornada DevOps e Cloud Computing. As aulas são 100% online e ministradas por professores referência no mercado em que atuam, como Marcelo Leite, especialista de dados da Microsoft.

Quero fazer a pós em Arquitetura de Software, Ciência de Dados e Cybersecurity

sobre o autor

Bruna Giroldo

Analista de marketing de conteúdo da Pós PUCPR Digital. Escritora e entusiasta da educação digital e do futuro do trabalho.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Próximo conteúdo

Por que apostar nos cursos online na pandemia?

O arquiteto de software é indispensável ao sucesso de um negócio. Mas o que ele faz? Descubra neste artigo e aproveite esta oportunidade de carreira!

Tempo de leitura

2 min