30/11/2020 17:42:51

O que é psicologia positiva e como ela pode alavancar sua carreira?

Uma especialização em psicologia positiva pode alavancar sua carreira. Quer saber mais sobre essa frente de estudos? Confira!

Você concorda que a busca pela felicidade e por uma vida positiva e equilibrada não significa uma vida sem problemas e que esse é um trabalho constante? A psicologia positiva é a vertente da psicologia que estuda os efeitos da positividade e se propõe a mudar perspectivas de pensamento e comportamento, através do estudo das emoções e relações positivas, tornando a vida das pessoas mais leve e equilibrada.

Uma especialização nessa área, para profissionais dos mais diversos setores, pode alavancar a carreira em um momento em que nossa sociedade prioriza e valoriza a manutenção do bem-estar individual e coletivo.

Quer saber mais sobre essa frente de estudos? Confira o conteúdo que preparamos neste artigo:

  1. O que é psicologia positiva?
  2. O que é felicidade para a psicologia positiva?
  3. Quais são os elementos da psicologia positiva?
  4. Quais são as técnicas terapêuticas mais conhecidas?
  5. Como aplicar esse conhecimento na carreira?

Muito do que você vai ler aqui poderá ser colocado em prática hoje mesmo! Vamos lá?

O que é psicologia positiva?

O estudo da psicologia positiva se iniciou em 1970, com Martin Seligman, considerado o precursor dessa vertente. Existia, até então nos campos da psicologia e da neurociência, um grande volume de pesquisas e dados em relação a problemas como depressão, ansiedade e neuroses, mas pouco se estudava sobre o oposto desses problemas e sobre como estados de alegria e conforto impactavam a vida dos pacientes.

Se a psicologia é a ciência que estuda os processos e comportamentos humanos, a psicologia positiva é aquela que dá enfoque nas emoções e reações — como o nome já deixa claro — positivas: ao estudo da felicidade.

Essa vertente da psicologia se dedica a estudar os elementos e relações mais leves e saudáveis de cada indivíduo, fortalecendo assim aspectos como resiliência, gratidão, otimismo e confiança, sem ter como objeto de estudo angústias, doenças e sofrimentos psíquicos. Isso não significa que a psicologia positiva não tenha embasamento, análises e estudos ou que seja uma forma leviana de tratamento.

O que é felicidade para a psicologia positiva?

Há várias definições para o termo "felicidade". Na psicologia positiva, ela recebe o nome de "bem-estar subjetivo", referindo-se ao que o indivíduo pensa e sente em relação à própria vida.

O bem-estar subjetivo não se restringe à ausência de fatores negativos, ele engloba também aspectos positivos. Ele também é uma medida global, que nao está limitada a apenas um aspecto da vida.

Para compreender o bem-estar subjetivo, os psicólogos Carol Ryff e Corey Lee M. Keyes descreveram um modelo multidimensional de seis componentes do funcionamento psicológico positivo, em 1995:

  1. Autoaceitação: avaliação positiva de si mesmo e do período anterior de vida;
  2. Crescimento pessoal: percepção de desenvolvimento contínuo como indivíduo;
  3. Sentido: crença de que a vida possui um objetivo e um significado;
  4. Relações positivas com os outros: mantém relações interpessoais de qualidade;
  5. Domínio do ambiente: versatilidade para lidar com os aspectos da vida e do mundo ao redor;
  6. Autonomia: sentimento de autodeterminação.

Verificar o grau do seu bem-estar subjetivo envolve autoconhecimento e testes de autoavaliação, como a Escala de Satisfação com a Vida (ESV). É preciso avaliar uma série de afirmações, como "até hoje, consegui as coisas mais importantes que desejo na vida" e "se pudesse viver a minha vida outra vez, não mudaria nada".

Quais são os elementos da psicologia positiva?

O modelo da psicologia positiva se estrutura em cinco elementos catalisadores de bem-estar e felicidade, que formam o acrônimo PERMA. São eles!

Emoções positivas (Positive Emotions)

O primeiro dos cinco elementos é a emoção positiva. Ele está diretamente relacionado a produção dos chamados hormônios da felicidade (dopamina e ocitocina), que são liberados em nosso corpo quando sentimos paz, conforto, gratidão, satisfação, acolhimento, prazer, inspiração, esperança, curiosidade ou amor.

Essas emoções positivas contribuem para nossa mente entender que tipo de situação nos faz bem e também são multiplicadoras. Basta pensar em como alguém feliz e grato acaba transmitindo esse sentimento àqueles que estão ao seu redor.

Engajamento (Engagement)

Energia, dedicação e integração são os três principais fatores medidos pelo elemento “engajamento”, dentro da estrutura da psicologia positiva. A confiança no ambiente e a satisfação com a atividade que se propõe a fazer, seja um trabalho, atividade de lazer, relacionamento com outras pessoas, estimulam o engajamento e entrega ao momento.

Relacionamentos (Relationships)

Se conectar com outras pessoas é uma necessidade humana. E a psicologia positiva reforça que, quando mais saudáveis e cheios de confiança são os vínculos estabelecidos nos relacionamentos, melhor o impacto deles na felicidade e realização individual.

Propósito (Meaning)

Outro elemento fundamental estudado pela psicologia positiva é o propósito, um dos fatores mais importantes quando falamos em motivação de vida. Existe uma alta correlação entre pessoas que encontram significado nas funções que exercem e na alta performance entregue por elas.

Realizações (Accomplishment)

Os objetivos e metas são analisados no elemento “realizações”. Ele é o responsável por trazer um sentimento de conquista e impulsionar o ser humano para novos desafios com motivação. Normalmente esse fator está atrelado a outros como sentimento de autonomia e evolução.

Quais são as técnicas terapêuticas mais conhecidas?

A psicologia positiva demonstrou que uma variedade de intervenções podem aumentar o bem-estar e prevenir o desequilíbrio da saúde mental. Conheça três que você pode colocar em prática hoje mesmo!

Saborear

A técnica consiste em tomar consciência do prazer e tentar fazer com que ele permaneça. Uma forma de cultivar emoções positivas é potencializar o impacto emocional de algo bom que acontece em nossas vidas. Para isso, é necessário ficar totalmente absorto nos momentos de prazer, sem pensar em outras coisas.

Sentir-se agradecido

Pessoas que demonstram gratidão estão mais satisfeitas com as próprias vidas. Psicólogos que usam este recurso pedem a pacientes que anotem em um caderno coisas boas que aconteceram ao longo do dia e por quais eles sentem-se gratos. O exercício é uma forma de prestar mais atenção aos aspectos positivos do dia a dia.

Identificar a própria força

É necessário conhecer as suas qualidades, as suas virtudes. Todo indivíduo tem uma força própria, independentemente das pessoas que o cercam. O enfoque é usado no acompanhamento de pessoas com baixa autoestima ou alguma debilidade.

Como aplicar esse conhecimento na carreira?

Com a rotina intensa de trabalho que temos hoje, saber lidar com as emoções positivas para potencializá-las é fundamental. Ao invés de focar nas cargas negativas, a mudança de mentalidade com foco em aumentar sensações como alegria e satisfação é transformador.

Comece a mudar pequenas atitudes e continue buscando mais aprofundamento sobre o tema para impulsionar a sua carreira:

  1. Os hormônios da felicidade melhoram aspectos como disposição, concentração e criatividade;
  2. O desempenho no trabalho é outro com confiança e autoestima bem equilibradas;
  3. Reconhecer qualidades em você e nos colegas de trabalho é um dos fatores motivacionais mais poderosos;
  4. Ninguém trabalha sozinho: empatia e relacionamentos saudáveis contribuem para um dia a dia mais leve e construtivo.

Para os profissionais de diversas áreas, sobretudo para os de psicologia, investir no estudo dessa vertente significa entender uma forma diferente da tradicional de levar aos pacientes, colegas de trabalho e a si mesmo uma nova forma de lidar com estresse, depressão e ansiedade, focando em fatores positivos que afastam essas condições.

A sociedade que compomos hoje tem uma dualidade entre termos estímulos a todo instante e intensidade no trabalho e relações, mas também em valorizar o equilíbrio, bem-estar e saúde mental. No fim, é isso que todos nós buscamos: ser produtivo e se sentir realizado, mas sem sobrecargas.

Quando falamos no mercado de trabalho, os profissionais e as empresas dão cada vez mais valor para esses aspectos. É comum empresas contarem com profissionais da área para manter o equilíbrio dos colaboradores e conhecimentos relacionados aos comportamentos e condições humanas.

O estudo da psicologia positiva é uma forma de construir um desenvolvimento da carreira e uma possibilidade do profissional se destacar no mercado de trabalho.


✉️ Gostou do nosso conteúdo sobre psicologia positiva? Receba toda semana mais artigos como este diretamente no seu e-mail (e de graça). Inscreva-se na News da Pós.

sobre o autor

Bruna Giroldo

Analista de marketing de conteúdo da Pós PUCPR Digital. Escritora e entusiasta da educação digital e do futuro do trabalho.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Próximo conteúdo

Preocupado com a performance da equipe? A pós-graduação em psicologia organizacional é para você

Uma especialização em psicologia positiva pode alavancar sua carreira. Quer saber mais sobre essa frente de estudos? Confira!

Tempo de leitura

4 min