Skip to content

Carreira

Como o mentoring e o coaching executivo aceleram seu desenvolvimento, segundo este especialista

Por Olívia Baldissera   | 

“O sucesso não é algo que você persegue, é algo que você atrai pela pessoa que se torna”.

Foi com essa frase que o consultor de marketing e desenvolvimento pessoal, Paulo Machado, iniciou sua participação nesta semana no Digital Talks, série de lives realizadas no instagram @pospucprdigital com profissionais referência em gestão.

Machado falou sobre processos de mentoring e coaching executivo, tema das aulas exclusivas que ele preparou para os estudantes da Pós PUCPR Digital. O consultor também respondeu perguntas enviadas pelo público.

A live foi mediada pelo coordenador do curso Gestão de Projetos, Jornada do Cliente e Metodologias Ágeis, Milton Coutinho.

Aqui você vai ver as principais ideias compartilhadas por Paulo Machado no Digital Talks. O conteúdo foi adaptado para facilitar a leitura, seguindo o formato de perguntas e respostas.

Confira:

  1. Qual a diferença entre mentoring e coaching executivo?
  2. Houve um boom de coaches no mercado nos últimos anos. Como lidar com a banalização do termo?
  3. O que é desenvolvimento pessoal?
  4. Mentoring ou coaching executivo: como saber qual é melhor para mim?
  5. Como aplicar o mentoring e o coaching no meio empresarial?
  6. Como o coaching executivo ajuda na prática?
  7. Por onde começar a mudança para me desenvolver?
  8. Como definir o meu ponto de alavanca?
  9. O que significa sucesso na carreira?
  10. Aprenda a usar as melhores técnicas de coaching executivo para se desenvolver

Você também pode assistir à live na íntegra:

>>> Confira as lições do head do Google Cloud sobre liderança de equipes remotas no Digital Talks

Resumo do Digital Talks sobre mentoring e coaching executivo

  • Tanto o mentoring quanto o coaching vão te ajudar a acelerar o seu desenvolvimento. A principal diferença entre os processos está na abrangência: um mentor tem uma atuação bem direcionada, dizendo o que um profissional deve fazer para chegar a um determinado ponto da carreira. Já o coach atua em outros âmbitos da vida do cliente.
  • Para escolher um coach ou um mentor, investigue o que o profissional já fez ao longo da carreira e leia depoimentos de clientes. As redes sociais são uma ótima ferramenta para isso.
  • No meio organizacional, o coaching auxilia os colaboradores a desenvolverem habilidades comportamentais, as soft skills. Elas são imprescindíveis para quem ocupa cargos executivos.
  • Um dos benefícios do coaching nas empresas é ajudar os colaboradores a definirem prioridades entre as entregas.
  • Quem deseja se desenvolver deve saber com clareza o que gostaria de mudar. Uma ferramenta que auxilia nesse processo é a Roda da Vida.
  • Sucesso é algo subjetivo, individual. Isso quer dizer o significado de uma carreira de sucesso varia de pessoa para pessoa, de acordo com o que ela deseja para sua vida.

milton-coutinho-paulo-machado-coaching-executivo

Qual a diferença entre mentoring e coaching executivo?

O coaching é um processo de realização de metas baseado em estratégias e em resultados mensuráveis, com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de um indivíduo. O profissional que ajuda as pessoas a alcançarem essas metas é o coach.

O mentoring é um processo guiado por um mentor, geralmente alguém mais experiente que já chegou ao estado desejado pelo indivíduo.

De maneira geral, o mentor diz ao mentorado o que ele deve (e não deve) fazer para evitar prováveis erros no percurso, além de ajudar a construir uma estratégia para alcançar os objetivos estabelecidos.

A atuação do mentor é bem específica e direcionada, como na área do empreendedorismo, finanças e negócios.

A mentoria pressupõe que todo o processo seja guiado por um profissional que esteja há mais tempo no mercado, por isso é difícil ver um mentor mais novo do que o mentorado.

No caso do coaching executivo, é possível ver um coach auxiliando um profissional mais velho, com mais anos de carreira. A atuação do coach é mais abrangente, focando no desenvolvimento pessoal e profissional como um todo.

Outra distinção importante para entender a definição de mentoring e coaching é a dos conceitos de objetivo e meta:

  • Objetivo: um desejo mais abrangente, geral e vago;
  • Meta: quantificação do objetivo para alcançá-lo. Envolve prazos e etapas.

Houve um boom de coaches no mercado nos últimos anos. Como lidar com a banalização do termo?

Para Paulo Machado, essa fase já passou. O mercado teria filtrado os bons dos maus profissionais.

Essa banalização não deve manchar a essência do coaching, vista pelo consultor como uma ferramenta poderosa de aceleração de desenvolvimento pessoal e profissional.

Mas como reconhecer um bom coach?

Machado deu duas orientações:

  • Analise o rastro do coach nas redes sociais, como LinkedIn e Instagram. O que ele já fez? Que autoridade moral ele tem para te inspirar e te ajudar na jornada?
  • Quantas pessoas já foram ajudadas por esse profissional? É possível encontrar depoimentos nas redes sociais?

A partir da análise dessas informações é possível avaliar se o profissional é sério ou não.

O que é desenvolvimento pessoal?

O desenvolvimento pessoal é objeto de diferentes áreas do conhecimento. "É um processo consciente iniciado por um indivíduo em busca da sua melhor versão. Ele é permanente, ou seja, nunca acaba”, definiu Paulo Machado.

Essa melhor versão está ligada aos mais diferentes âmbitos de nossas vidas, como o trabalho, a saúde mental, a atividade física, a alimentação ou os relacionamentos afetivos.

Mentoring ou coaching executivo: como saber qual é melhor para mim?

Toda ajuda é bem-vinda, frisou Paulo Machado. Afinal, ela vai te ajudar a acelerar o seu desenvolvimento, em especial por trazer uma perspectiva externa sobre o seu estado atual e sobre o que você quer mudar.

Pedir ajuda não deve ser visto como um sinal de fraqueza.

Outro ponto importante é não esperar que o mentor ou coach seja uma pessoa perfeita, livre de defeitos. É preciso aproveitar o conhecimento que esse profissional tem e descartar o que não faz sentido para você.

Como aplicar o mentoring e o coaching no meio empresarial?

O professor convidado da Pós PUCPR Digital indicou o coaching para o desenvolvimento de habilidades comportamentais (soft skills) dentro das empresas.

Existe uma defasagem das soft skills entre os profissionais, pois a educação formal ainda privilegia o aprendizado das habilidades técnicas, as hard skills. O coaching seria uma forma de atenuar essa defasagem.

“Quanto mais você cresce na carreira, mais o seu sucesso vai depender das suas habilidades comportamentais e menos das habilidades técnicas”, explicou Machado.

Isso não significa que as habilidades técnicas não sejam importantes. Elas são a base para ser um bom profissional. As soft skills são necessárias para ir além e se destacar entre os colegas.

Quando uma empresa contrata um coach, geralmente é para ajudar um colaborador que está subindo na hierarquia. O processo dura dez sessões com duração de 45 minutos cada, em média.

Os encontros são semanais e focam no desenvolvimento de soft skills, a partir do aprimoramento da autopercepção e da identificação dos pontos fortes, fracos e limitantes.

Entenda a diferença entre os três pontos:

  • Pontos fortes: o que você faz bem naturalmente;
  • Pontos fracos: o que você tem mais dificuldade de fazer;
  • Pontos limitantes: pontos fracos que impedem o seu desenvolvimento pessoal.

Após a pandemia, as empresas começaram a contratar life coaches para ajudar os colaboradores a equilibrarem a vida profissional com a pessoal.

>>> Por que entender a motivação humana é fundamental para gestores

Como o coaching executivo ajuda na prática?

O processo de coaching auxilia a alterar mentalidades comuns no ambiente de trabalho para:

  • Mais importante do que as horas trabalhadas é o que o colaborador entrega para a organização. Qual o retorno que o profissional dá ao investimento que a empresa dá para ele?
  • As prioridades de entrega devem ser claras e objetivas tanto para gestores quanto para a equipe.

Uma técnica prática do coaching executivo para fugir da ilusão da quantidade das horas trabalhadas é listar as prioridades do dia. Antes de ligar o notebook para trabalhar, reserve cinco minutos para fazer essa lista em uma folha de papel.

Se você não souber por onde começar, tente responder a seguinte pergunta: se eu tivesse apenas duas horas de trabalho por dia, como eu investiria esse tempo?

Outra ação importante é ter uma conversa franca com o seu gestor. Pergunte para ele o que é esperado do seu cargo e quais atividades são prioridade.

>>> Por que um curso de gestão de projetos tornará você um profissional disputado no mercado

Por onde começar a mudança para me desenvolver?

No coaching, o primeiro passo é identificar o seu ponto de alavanca.

A expressão se refere a algo da sua vida que você gostaria de mudar e, para isso, canalizaria todo o seu esforço.

Esse algo deve ser específico e quantificável para que você consiga estabelecer o tripé das metas, a partir das respostas às seguintes perguntas:

  • O quê? O que exatamente você deseja alcançar em quanto tempo.
  • Por quê? O motivo específico de você ter esse desejo.
  • Como? As etapas e prazos necessários para alcançar esse desejo.

Um coach profissional vai te ajudar a responder essas perguntas e traçar um plano.

Como definir o meu ponto de alavanca?

Uma ferramenta indicada por Paulo Machado para isso é a Roda da Vida, um recurso visual que orienta a reflexão sobre os diferentes âmbitos da nossa vida.

A Roda da Vida costuma ser dividida em 12 categorias:

  1. Desenvolvimento intelectual
  2. Equilíbrio emocional
  3. Propósito
  4. Carreira
  5. Finanças
  6. Lazer
  7. Relacionamentos amorosos
  8. Casa
  9. Saúde
  10. Vida social
  11. Espiritualidade
  12. Contribuição com o mundo

Mas você pode alterar essas categorias de acordo com as áreas que considera mais importantes para sua vida.

Definidas as categorias que serão avaliadas, escolha um número de 0 a 10 que represente o quanto você tem se dedicado para cada uma delas. O número 0 indica o menor nível de dedicação, enquanto o 10 é o maior.

Você pode desenhar a roda em uma folha de papel ou nesta Roda da Vida online.

Exemplo de Roda da Vida. Créditos: Wikimedia Commons CC-BY-SA-4.0Exemplo de Roda da Vida. Wikimedia Commons CC-BY-SA-4.0

O que significa sucesso na carreira?

Paulo Machado ressaltou que sucesso é algo subjetivo: “O que é sucesso para um não é sucesso para outro”.

O ideal seria que cada pessoa tivesse bem clara a sua definição de sucesso, sem se prender à definição dos outros.

O professor da Pós PUCPR Digital exemplificou com a sua própria definição. Para ele, o sucesso depende de três fatores simultâneos:

  • Buscar se tornar a melhor pessoa que você pode ser, seja no âmbito profissional ou pessoal;
  • Ter clareza sobre a vida que você gostaria de construir para si e transformar essa visão em realidade;
  • Ser capaz de gerar mudanças positivas no mundo ao seu redor, na comunidade da qual você faz parte.

Isso não quer dizer que haja uma fórmula pronta para o sucesso. Um plano que funciona para uma pessoa não necessariamente vai funcionar para outra.

Aprenda a usar as melhores técnicas de coaching executivo para se desenvolver

Quer se desenvolver ainda mais depois das lives do Digital Talks?

Aprenda a usar as ferramentas de coaching a favor da sua empresa com Paulo Machado, professor convidado dos cursos da Pós PUCPR Digital.

Ele está entre as mentes mais brilhantes do Brasil e do mundo que vão te ajudar a se preparar para o pós.

Inscreva-se na pós-graduação em Pessoas, Gestão e Comportamento da Pós PUCPR Digital

Sobre o autor

Olívia Baldissera

Olívia Baldissera

Jornalista e historiadora. É analista de conteúdo da Pós PUCPR Digital.

Assine nossa newsletter e fique por dentro do nosso conteúdo.

x