09/02/2021 10:36:22

Como comprovar habilidades técnicas em Big Data?

Você saberia provar habilidades técnicas em Big Data em um processo seletivo? Descubra como se destacar no mercado de inteligência de dados agora mesmo!

Um currículo elaborado e a boa comunicação podem ser a chave de entrada para o mercado de trabalho. Mas existem outras estratégias que os profissionais de Big Data utilizam para mostrar seus conhecimentos e garantir melhores oportunidades.

Demonstrar as habilidades técnicas em Big Data pode parecer um desafio, especialmente porque a área exige perfil analítico e conhecimentos acadêmicos aprofundados. Além disso, sua aplicabilidade no Marketing é muito ampla e têm ganhado um papel essencial nos negócios, exigindo um novo olhar dos profissionais.

Mesmo que essa tarefa pareça complexa, existem alguns passos simples e essenciais que podem ser seguidos por aqueles que buscam destaque. Para além de um bom portfólio, é necessário ter facilidade de comunicação e postura crítica diante das tomadas de decisões.

O fato é que o mercado demanda, cada vez mais, por pessoas que estejam preparadas para os diferentes processos institucionais e que consigam participar ativamente da transformação digital nas empresas. E como um grande reforço, as especializações surgem como itens fundamentais para um melhor desempenho dos colaboradores, sejam gestores, colaboradores operacionais ou analistas.

Pensando nesse contexto, vale o questionamento: como você tem atuado para comprovar suas habilidades em Big Data? Preparamos este conteúdo com algumas dicas que podem lhe ajudar nesse processo. Continue a leitura!

Por que o Big Data é tão importante para o Marketing?

Entender a relação do Marketing e do Big Data é o ponto de partida para nossa análise. Isso porque as transformações tecnológicas garantiram o surgimento de um enorme número de dados, considerados itens valiosos para as instituições.

No Big Data os dados são coletados e posteriormente interpretados por analistas. Com essas informações é possível traçar estratégias mais efetivas e direcionadas, fazendo com que as operações sejam otimizadas. Como resultado: redução de custos, retenção de clientes, conquista de novos mercados, previsibilidade e tantas outras vantagens.  

Naturalmente, o Marketing se beneficia muito desse processo. Já parou para pensar no quanto as campanhas de venda/lançamento se tornam mais efetivas após um estudo de praça, prazo e persona? Ou já refletiu sobre como o trabalho de brainstorm é aprimorado com direcionamentos prévios de projeto?

O Big Data e o Marketing se encontram de diversas cenários, como:

  1. análise de concorrência;
  2. precificação de produtos;
  3. personalização de mensagens (seja e-mail, sms ou redes sociais);
  4. previsibilidade comportamental de consumo;
  5. testes virtuais de campanhas;
  6. retenção de clientes e diminuição de churn.

Assim, a ciência por trás do Big Data surge como um grande auxílio para o Marketing e pode fazer muita diferença nas métricas e resultados.

Quais habilidades técnicas um profissional de Big Data deve ter?

Quando falamos de dados, há um ponto essencial que é observado pelas empresas, independentemente do setor. Todas elas demandam profissionais preparados para interpretá-los e aplicá-los da maneira correta.

Com uma vasta possibilidade de direcionamentos e aplicações, o Big Data permite que profissionais de diferentes setores se aventurem em seus processos. Porém, é importante ter uma afinidade com a tecnologia e com os números, já que essa união converge para a visão analítica dos dados.

Além disso, é necessário que o profissional possua um conhecimento acadêmico sobre o tema, pois a especialização faz com que ele tenha uma postura mais crítica e segura em suas ações. Os estudos também reforçam o networking e garantem uma atualização sobre o mercado, sempre em constante desenvolvimento.

Aqui vale observar que as soft e as hard skills se misturam. As habilidades técnicas em Big Data são exigidas em qualquer processo seletivo de tamanha especificidade, mas os traços comportamentais são igualmente avaliados.

Portanto, os profissionais de Big Data devem ser bons comunicadores, pois precisam transmitir informações para diversos setores, de forma clara e direta. É importante que tenham dinamicidade em situações mais delicadas ou de risco, já que influenciam diretamente nas tomadas de decisões das empresas. E devem ainda ter uma mentalidade científica, capaz de experimentar modelos úteis para o negócio.

Como as habilidades técnicas em Big Data devem ser apresentadas?

Não há dúvidas de que o currículo é um dos materiais mais avaliados pelas instituições durante o processo de contratação. Porém, a competitividade pode ser alta. Uma pesquisa realizada pela Catho, empresa de recrutamento online, indica que diversos recrutadores descartam currículos em segundos.

A justificativa não está apenas na competitividade de mercado, mas também na apresentação desses documentos. Muitos candidatos não colocam informações básicas, que são muito valorizadas nos processos como: cursos complementares, experiência profissional, objetivo ou conhecimento em diferentes idiomas.

Para além disso, as habilidades técnicas em Big Data podem ser demonstradas por portfólios e projetos prévios, que indicam conhecimento ou interesse no setor. Para expor tais trabalhos o profissional pode e deve explorar os meios digitais.

O LinkedIn, por exemplo, é uma rede social com viés corporativo, que facilita o contato entre empregadores e os candidatos, diminuindo as barreiras. O próprio e-mail, se bem elaborado, pode ser visto como um caminho prático para se apresentar às empresas e conseguir novas oportunidades.

A medida que o profissional for conquistando novos conhecimentos e mais segurança, ele ainda pode estudar determinadas empresas e apresentar soluções específicas, mediante contratação ou atuação em forma de consultoria.

Qual é o impacto das especializações na carreira desses profissionais?

A escolha do curso e da instituição de ensino devem ser analisadas com cuidado, afinal os dois aspectos fazem grande diferença no currículo e na comprovação das habilidades técnicas. Muitas empresas levam em consideração se o profissional estudou em instituições de confiança e se teve contato com conteúdos programáticos relevantes.

Na escolha de um curso, é sempre importante analisar o corpo docente, a grade curricular e a estrutura da instituição. Verifique se o contato com o aluno é constante, independentemente do momento de matrícula. Analise também os formatos e a disposição dos conteúdos. A instituição possui flexibilidade de horários e oferece acessibilidade às aulas?

Por fim, lembre-se que a pós-graduação não só trás mais autoridade e segurança para o candidato, como também permite que ele busque por cargos de mais estabilidade e melhor remuneração. No setores de Marketing e Big Data, essa questão não poderia ser diferente.

E então, conseguiu compreender como a demonstração correta das habilidades técnicas em Big Data pode ajudar sua carreira? Como você pôde perceber, a especialização possui um papel fundamental nesse processo e lhe ajuda a ser um candidato ainda mais forte.

Se você busca por atualização e melhores oportunidades, não perca tempo. Matricule-se no curso Big Data e Marketing Intelligence da Pós PUCPR Digital. Você terá acesso à uma metodologia exclusiva e mentoria de professores que são referências na área.

Além de ser 100% online, o curso te ajuda a desenvolver conhecimentos fundamentais como: Machine Learning, Cultura Ágil, Gamificação e Arquitetura de Dados.

Quero fazer a pós em Big Data e Marketing Intelligence

sobre o autor

Bruna Giroldo

Analista de marketing de conteúdo da Pós PUCPR Digital. Escritora e entusiasta da educação digital e do futuro do trabalho.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Próximo conteúdo

Como incluir cursos EaD no currículo para se destacar no mercado

Você saberia provar habilidades técnicas em Big Data em um processo seletivo? Descubra como se destacar no mercado de inteligência de dados agora mesmo!

Tempo de leitura

4 min