17/11/2020 18:21:14

Como é o mercado da arquitetura de software? Salário, empresas e mais!

Com boa demanda e salários atrativos, profissionais em arquitetura de software encontram um mercado com grande potencial de crescimento. Saiba mais!

A transformação digital virou os holofotes para a tecnologia da informação. Profissionais em arquitetura de software se tornaram disputados no mercado, com ofertas de salários atrativos e com a possibilidade da construção de carreiras sólidas e promissoras.

Sistemas e dispositivos diversos estão tão presentes em nossas vidas, que em alguns momentos essa integração passa despercebida. Nesse contexto, ter domínio sobre novas tecnologias e boas capacitações profissionais podem ser os caminhos para impulsionar a sua carreira no mercado arquitetura de software.

Diante de um cenário promissor e com tantas possibilidades, muitos questionamentos podem surgir. Por isso, uma formação orientada por profissionais experientes torna-se o meio ideal para encontrar o seu propósito e planejar os rumos da sua carreira.

✉️ Receba de graça uma seleção semanal de artigos sobre negócios, tecnologia e carreira. É só preencher o formulário abaixo:

Neste artigo, você aprenderá tudo o que precisa saber sobre a arquitetura de software e como começar uma carreira na área:

  1. O que é arquitetura de software
    1.1 As etapas do processo de arquitetura de software
    1.2 O que faz um arquiteto de software
  2. Quais são os tipos de arquitetura de software?
  3. Qual a diferença entre engenharia e arquitetura de software?
  4. Profissão do futuro: como é o mercado?
  5. Qual é o salário de um arquiteto de software?
  6. É preciso ter alguma formação específica?
  7. Qual é o perfil de um arquiteto de software?

Ao final da leitura, você estará pronto para dar os primeiros passos para se especializar na área de tecnologia!

O que é arquitetura de software

Arquitetura de software é a área da tecnologia da informação que trabalha com as estratégias de um projeto de desenvolvimento de um sistema. É o setor responsável por entregar valor ao clientes, colaboradores da empresa, parceiros e demais envolvidos no processo. Ela define os componentes computacionais, a relação entre estes componentes, os padrões arquiteturais que os guiam e suas restrições.

A arquitetura de software permite raciocinar sobre os cinco atributos básicos de um sistema antes de implementá-lo:

  1. Confiabilidade
  2. Funcionalidade
  3. Modularização
  4. Performance
  5. Segurança

As decisões sobre a estrutura do projeto são atribuições da arquitetura de software para o pleno funcionamento de cada etapa. Assim, diminuem-se os riscos e otimiza o trabalho para os demais profissionais, trazendo um resultado final mais assertivo.

Além da estrutura do projeto, a arquitetura de software define:

  • Controle
  • Protocolos de comunicação
  • Sincronização e acesso a dados
  • Atribuição de funcionalidade a elementos do sistema
  • Distribuição física dos elementos
  • Escalabilidade e desempenho
  • Atributos de qualidade

Um dos primeiros trabalhos de arquitetura de software publicados foi o artigo de Edsger Dijkstra, em 1968. Ele organizou o design de um sistema em camadas para reduzir a complexidade do programa, mas não se considerava um arquiteto de software. O termo se consolidou na literatura científica em meados da década de 1980.

É preciso ressaltar que o termo "Arquitetura de Software" pode ser usado tanto para definir o processo quanto o produto. Ou seja, ele pode se referir à estrutura do programa ou à área da tecnologia responsável pelo seu desenvolvimento.

As etapas do processo de arquitetura de software

O processo de design da arquitetura de software é composto por 5 etapas principais:

  1. Definição do problema que o software deve resolver: o arquiteto precisa saber qual será o contexto do sistema para saber sua aplicação de uma perspectiva externa. Isso facilita a descrição da proposta de software e a identificação das interfaces.
  2. Identificação dos componentes: é preciso definir quais componentes farão parte do projeto de arquitetura de software. Eles podem existir na forma binária e no código fonte. Na primeira, o componente é integrado ao sistema sem necessidade de recompilação. Já na segunda o componente deve reunir arquivos de código fonte que tenham alta coesão interna e baixa dependência externa.
  3. Descrição dos componentes e conectores: deve ser feita em uma configuração de execução.
  4. Avaliação do design da arquitetura de software: esta etapa envolve avaliar se a primeira versão do projeto oferece a solução desejada.
  5. Transformação do design da arquitetura de software: caso o projeto não atenda aos objetivos estabelecidos, ele deve ser reformulado.

Além do arquiteto de software, o processo de design conta com a participação de outros profissionais de TI:

  • Analista de requisitos;
  • Programador;
  • Projetista ou desenvolvedor;
  • Gerente de projetos.

O que faz um arquiteto de software

O arquiteto de software é quem vai garantir que o planejamento e as diretrizes do projeto estarão alinhados. O profissional busca entender como as empresas podem melhorar a sua performance e resultados através do desenvolvimento de um novo sistema. Ou seja, podemos dizer que o trabalho desse profissional é mais estratégico do que técnico.

No dia a dia, o arquiteto de software realiza estas atividades:

  • Especificar o projeto e as bases do sistema de acordo com as demandas do cliente;
  • Coordenar as atividades da equipe de desenvolvedores;
  • Realizar e acompanhara os resultados das fases de modelagem, prototipação, simulação e testes.
  • Analisar de trade-offs e viabilidade;
  • Acompanhar as tendências na área de tecnologia.

Saiba mais sobre o que faz um arquiteto de software neste artigo.

Quais são os tipos de arquitetura de software?

O profissional de TI deve conhecer os principais tipos de arquitetura de software usados em sites, refes sociais, programas e sistemas operacionais.

Eles nada mais são do que um padrão, uma solução já estudada, testada e documentada de um problema recorrente. O modelo ajuda na tomada de decisões do projeto de software, como qual será sua utilidade e as funções e relacionamento de cada subsistema.

Os principais tipos de arquitetura de software são:

  1. Layers (camadas)
  2. Client-server (cliente-servidor)
  3. Model-view-controller (MVC)
  4. Microservices (microsserviços)
  5. Pipes-and-filters (PF)
  6. Peer-to-Peer (P2P)
  7. Service-Oriented Architecture (SOA)
  8. Publish-Subscribe (Pub/Sub)
Conheça cada um dos tipos de arquitetura de software em detalhes neste artigo.

Qual a diferença entre engenharia e arquitetura de software?

Apesar de serem duas das opções de carreira dentro da área de TI, cada um dos cargos exige habilidades diferentes. O engenheiro de software realiza o projeto, o desenvolvimento e a implementação de soluções de software. Trabalha lado a lado de desenvolvedores na programação e também faz a gestão dos processos.

Já o arquiteto de software é o responsável pelas decisões técnicas, como a escolha dos padrões arquiteturais que descrevemos acima, garantindo que o software atenda aos requisitos do negócio. Ele também faz o meio-de-campo entre a equipe e o cliente.

Em outras palavras, o arquiteto modela o programa, enquanto o engenheiro controla os processos até a conclusão do projeto.

Profissão do futuro: como é o mercado?

Sim, a arquitetura de software já é uma das profissões do futuro. Além de ocupar um cargo que estará em alta no pós-pandemia, o arquiteto de software foi um dos profissionais que tiveram os maiores aumentos de salário entre 2020 e 2021, segundo o Banco Nacional de Empregos (BNE).

A demanda e a valorização do profissional acompanharam a aceleração da digitalização das empresas com a pandemia. Um estudo da IBM com 3,8 mil executivos de 20 países e 22 setores mostrou que seis em cada dez empresas aceleraram a transformação digital nas empresas. Ainda, mais da metade dos entrevistados contou que irá priorizar projetos deste tipo nos próximos dois anos.

Os micro e pequenos empreendedores seguiram o mesmo caminho, de acordo com o levantamento do Sebrae-SP. 22% dos empresários digitalizaram seus negócios e adotaram plataformas online nos últimos meses. Os que já utilizavam (60%) intensificaram as operações virtuais. Os processos contaram com o apoio de consultores e empresas de tecnologia.

Reparou nas diferentes áreas de atuação de um arquiteto de software a partir destes dados? Ele pode trabalhar como consultor autônomo ou dentro de um negócio de tecnologia, além de participar da transformação digital de empresas que ainda seguem processos analógicos.

Qual é o salário do arquiteto de software?

Empresas que tenham alguma tecnologia presente nos processos precisam de um arquiteto de software. Toda solução tecnológica começa com uma boa arquitetura, dessa forma é este profissional o mais capacitado para garantir os padrões e a assertividade do projeto.

Por ser um cargo que exige muitas habilidades e assume grandes responsabilidades, os arquitetos de software costumam ser bem remunerados pelas empresas.

De acordo com pesquisa feita pelo site Vagas, o salário de um arquiteto de software varia entre R$ 7 mil a R$ 12 mil mensais. Já levantamento do Glassdoor mostra uma média salarial de R$ 10 mil por mês.

O mercado está aquecido. Demandas urgentes de adequação a um cenário repleto de novidades tecnológicas estão absorvendo os especialistas. Para iniciar e progredir na carreira, uma boa graduação é fundamental, mas não é o suficiente. As atualizações e capacitações não deixam o profissional ficar para trás.

E pós-graduação na área, vale a pena? Com certeza.

Ter uma pós-graduação qualifica ainda mais o profissional, o que alavanca a carreira e, por consequência, tende a aumentar consideravelmente o salário de um arquiteto de software. Conheça mais motivos para começar sua pós em arquitetura de software agora mesmo

É preciso ter alguma formação específica?

Não é exigida uma formação específica para trabalhar com arquitetura de software. Geralmente, um arquiteto de software tem graduação em ciência da computação, sistemas de informação e demais correlatas na área de tecnologia. Engenheiros também se especializam em TI para atuar na área.

O ideal é que o profissional tenha conhecimentos de estatística, matemática, inteligência artificial, cloud computing e robótica. Para atuar na arquitetura de software, é preciso desenvolver estas habilidades:

  • Saber reconhecer estruturas comuns em sistemas já desenvolvidos;
  • Dominar técnicas de modelagem e metodologias de desenvolvimento de software;
  • Conhecer cases de arquitetura de software para a tomada de decisões em novos projetos;
  • Entender a estratégia de negócio da organização em que trabalha;
  • Ter uma boa comunicação, para apresentar o projeto para a equipe e clientes.

O ideal é que o profissional busque cursos de arquitetura de software, em especial uma pós-graduação, para aprimorar estas habilidades. Neste artigo, ensinamos como se destacar na carreira como arquiteto de software.

Qual é o perfil de um arquiteto de software?

Você é uma pessoa aberta a desafios? Gosta de estudar e aprender coisas novas? Se a sua resposta for afirmativa, a carreira de arquiteto de software pode ser para você.

Faz parte da rotina negociações, tomada de decisões, elaboração de planos e relacionamento com colegas e parceiros. Ou seja, por ser uma profissão estratégica, além do conhecimento técnico fundamental para atuar em tecnologia da informação algumas habilidades tornam-se essenciais. São elas:

  • Boa comunicação
  • Resiliência
  • Ser proativo
  • Ter senso crítico
  • Ter criatividade
  • Saber liderar

A combinação dessas habilidades com conhecimento técnico é o que provavelmente vai ser decisivo na contratação para uma vaga como arquiteto de software. É um cargo que exige muito do emocional e da capacidade estratégica da pessoa, e essas competências comportamentais que irão definir os rumos individuais ao longo da carreira.

Você já trabalha com tecnologia da informação e deseja ingressar na arquitetura de software? Para se destacar e ter acesso às melhores vagas e salários, ter uma boa pós-graduação é um diferencial. Além do contato com professores capacitados e experientes, o curso complementa o seu conhecimento e ajuda a alinhar os seus objetivos profissionais.

No curso Arquitetura de Software, Ciência de Dados e Cybersecurity da Pós PUCPR Digital, os alunos aprendem habilidades essenciais para ocupar cargos estratégicos de gestão, além de conhecer metodologias ágeis e a jornada DevOps.

A especialização é o primeiro passo para se destacar na carreira de arquiteto de software. Vamos iniciar esta jornada juntos?

Quero fazer a pós em Arquitetura de Software, Ciência de Dados e Cybersecurity

sobre o autor

Bruna Giroldo

Analista de marketing de conteúdo da Pós PUCPR Digital. Escritora e entusiasta da educação digital e do futuro do trabalho.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Próximo conteúdo

Data lake, a fonte mágica de dados para sua estratégia de Big Data

Com boa demanda e salários atrativos, profissionais em arquitetura de software encontram um mercado com grande potencial de crescimento. Saiba mais!

Tempo de leitura

6 min