Skip to content

Tecnologia   |   Carreira

Como é o mercado da arquitetura de software? Salário, empresas e mais!

Por Bruna Giroldo   | 

A transformação digital virou os holofotes para a tecnologia da informação. Profissionais em arquitetura de software se tornaram disputados no mercado, com ofertas de salários atrativos e com a possibilidade da construção de carreiras sólidas e promissoras.

Sistemas e dispositivos diversos estão tão presentes em nossas vidas, que em alguns momentos essa integração passa despercebida. Nesse contexto, ter domínio sobre novas tecnologias e boas capacitações profissionais podem ser os caminhos para impulsionar a sua carreira no mercado arquitetura de software.

Diante de um cenário promissor e com tantas possibilidades, muitos questionamentos podem surgir. Por isso, uma formação orientada por profissionais experientes torna-se o meio ideal para encontrar o seu propósito e planejar os rumos da sua carreira.

Neste artigo, você aprenderá tudo o que precisa saber sobre a arquitetura de software e como começar uma carreira na área:

  1. O que é arquitetura de software
    1.1 As etapas do processo de arquitetura de software
    1.2 O que faz um arquiteto de software
  2. Quais são os tipos de arquitetura de software?
  3. Qual a diferença entre engenharia e arquitetura de software?
  4. Profissão do futuro: como é o mercado?
  5. Qual é o salário de um arquiteto de software?
  6. É preciso ter alguma formação específica?
  7. Qual é o perfil de um arquiteto de software?

Ao final da leitura, você estará pronto para dar os primeiros passos para se especializar na área de tecnologia!

Alavanque sua carreira com os cursos da Pós PUCPR Digital!

O que é arquitetura de software

Arquitetura de software é a área da tecnologia da informação que trabalha com as estratégias de um projeto de desenvolvimento de um sistema. É o setor responsável por entregar valor ao clientes, colaboradores da empresa, parceiros e demais envolvidos no processo. Ela define os componentes computacionais, a relação entre estes componentes, os padrões arquiteturais que os guiam e suas restrições.

A arquitetura de software permite raciocinar sobre os cinco atributos básicos de um sistema antes de implementá-lo:

  1. Confiabilidade
  2. Funcionalidade
  3. Modularização
  4. Performance
  5. Segurança

As decisões sobre a estrutura do projeto são atribuições da arquitetura de software para o pleno funcionamento de cada etapa. Assim, diminuem-se os riscos e otimiza o trabalho para os demais profissionais, trazendo um resultado final mais assertivo.

Além da estrutura do projeto, a arquitetura de software define:

  • Controle
  • Protocolos de comunicação
  • Sincronização e acesso a dados
  • Atribuição de funcionalidade a elementos do sistema
  • Distribuição física dos elementos
  • Escalabilidade e desempenho
  • Atributos de qualidade

Um dos primeiros trabalhos de arquitetura de software publicados foi o artigo de Edsger Dijkstra, em 1968. Ele organizou o design de um sistema em camadas para reduzir a complexidade do programa, mas não se considerava um arquiteto de software. O termo se consolidou na literatura científica em meados da década de 1980.

É preciso ressaltar que o termo "Arquitetura de Software" pode ser usado tanto para definir o processo quanto o produto. Ou seja, ele pode se referir à estrutura do programa ou à área da tecnologia responsável pelo seu desenvolvimento.

As etapas do processo de arquitetura de software

O processo de design da arquitetura de software é composto por 5 etapas principais:

  1. Definição do problema que o software deve resolver: o arquiteto precisa saber qual será o contexto do sistema para saber sua aplicação de uma perspectiva externa. Isso facilita a descrição da proposta de software e a identificação das interfaces.
  2. Identificação dos componentes: é preciso definir quais componentes farão parte do projeto de arquitetura de software. Eles podem existir na forma binária e no código fonte. Na primeira, o componente é integrado ao sistema sem necessidade de recompilação. Já na segunda o componente deve reunir arquivos de código fonte que tenham alta coesão interna e baixa dependência externa.
  3. Descrição dos componentes e conectores: deve ser feita em uma configuração de execução.
  4. Avaliação do design da arquitetura de software: esta etapa envolve avaliar se a primeira versão do projeto oferece a solução desejada.
  5. Transformação do design da arquitetura de software: caso o projeto não atenda aos objetivos estabelecidos, ele deve ser reformulado.

Além do arquiteto de software, o processo de design conta com a participação de outros profissionais de TI:

  • Analista de requisitos;
  • Programador;
  • Projetista ou desenvolvedor;
  • Gerente de projetos.

O que faz um arquiteto de software

O arquiteto de software é quem vai garantir que o planejamento e as diretrizes do projeto estarão alinhados. O profissional busca entender como as empresas podem melhorar a sua performance e resultados através do desenvolvimento de um novo sistema. Ou seja, podemos dizer que o trabalho desse profissional é mais estratégico do que técnico.

No dia a dia, o arquiteto de software realiza estas atividades:

  • Especificar o projeto e as bases do sistema de acordo com as demandas do cliente;
  • Coordenar as atividades da equipe de desenvolvedores;
  • Realizar e acompanhara os resultados das fases de modelagem, prototipação, simulação e testes.
  • Analisar de trade-offs e viabilidade;
  • Acompanhar as tendências na área de tecnologia.

Saiba mais sobre o que faz um arquiteto de software neste artigo.

Quais são os tipos de arquitetura de software?

O profissional de TI deve conhecer os principais tipos de arquitetura de software usados em sites, refes sociais, programas e sistemas operacionais.

Eles nada mais são do que um padrão, uma solução já estudada, testada e documentada de um problema recorrente. O modelo ajuda na tomada de decisões do projeto de software, como qual será sua utilidade e as funções e relacionamento de cada subsistema.

Os principais tipos de arquitetura de software são:

  1. Layers (camadas)
  2. Client-server (cliente-servidor)
  3. Model-view-controller (MVC)
  4. Microservices (microsserviços)
  5. Pipes-and-filters (PF)
  6. Peer-to-Peer (P2P)
  7. Service-Oriented Architecture (SOA)
  8. Publish-Subscribe (Pub/Sub)
Conheça cada um dos tipos de arquitetura de software em detalhes neste artigo.

Qual a diferença entre engenharia e arquitetura de software?

Apesar de serem duas das opções de carreira dentro da área de TI, cada um dos cargos exige habilidades diferentes. O engenheiro de software realiza o projeto, o desenvolvimento e a implementação de soluções de software. Trabalha lado a lado de desenvolvedores na programação e também faz a gestão dos processos.

Já o arquiteto de software é o responsável pelas decisões técnicas, como a escolha dos padrões arquiteturais que descrevemos acima, garantindo que o software atenda aos requisitos do negócio. Ele também faz o meio-de-campo entre a equipe e o cliente.

Em outras palavras, o arquiteto modela o programa, enquanto o engenheiro controla os processos até a conclusão do projeto.

Profissão do futuro: como é o mercado?

Sim, a arquitetura de software já é uma das profissões do futuro. Além de ocupar um cargo que estará em alta no pós-pandemia, o arquiteto de software foi um dos profissionais que tiveram os maiores aumentos de salário entre 2020 e 2021, segundo o Banco Nacional de Empregos (BNE).

A demanda e a valorização do profissional acompanharam a aceleração da digitalização das empresas com a pandemia. Um estudo da IBM com 3,8 mil executivos de 20 países e 22 setores mostrou que seis em cada dez empresas aceleraram a transformação digital nas empresas. Ainda, mais da metade dos entrevistados contou que irá priorizar projetos deste tipo nos próximos dois anos.

Os micro e pequenos empreendedores seguiram o mesmo caminho, de acordo com o levantamento do Sebrae-SP. 22% dos empresários digitalizaram seus negócios e adotaram plataformas online nos últimos meses. Os que já utilizavam (60%) intensificaram as operações virtuais. Os processos contaram com o apoio de consultores e empresas de tecnologia.

Reparou nas diferentes áreas de atuação de um arquiteto de software a partir destes dados? Ele pode trabalhar como consultor autônomo ou dentro de um negócio de tecnologia, além de participar da transformação digital de empresas que ainda seguem processos analógicos.

Qual é o salário do arquiteto de software?

Empresas que tenham alguma tecnologia presente nos processos precisam de um arquiteto de software. Toda solução tecnológica começa com uma boa arquitetura, dessa forma é este profissional o mais capacitado para garantir os padrões e a assertividade do projeto.

Por ser um cargo que exige muitas habilidades e assume grandes responsabilidades, os arquitetos de software costumam ser bem remunerados pelas empresas.

De acordo com pesquisa feita pelo site Vagas, o salário de um arquiteto de software varia entre R$ 7 mil a R$ 12 mil mensais. Já levantamento do Glassdoor mostra uma média salarial de R$ 10 mil por mês.

O mercado está aquecido. Demandas urgentes de adequação a um cenário repleto de novidades tecnológicas estão absorvendo os especialistas. Para iniciar e progredir na carreira, uma boa graduação é fundamental, mas não é o suficiente. As atualizações e capacitações não deixam o profissional ficar para trás.

E pós-graduação na área, vale a pena? Com certeza.

Ter uma pós-graduação qualifica ainda mais o profissional, o que alavanca a carreira e, por consequência, tende a aumentar consideravelmente o salário de um arquiteto de software. Conheça mais motivos para começar sua pós em arquitetura de software agora mesmo

É preciso ter alguma formação específica?

Não é exigida uma formação específica para trabalhar com arquitetura de software. Geralmente, um arquiteto de software tem graduação em ciência da computação, sistemas de informação e demais correlatas na área de tecnologia. Engenheiros também se especializam em TI para atuar na área.

O ideal é que o profissional tenha conhecimentos de estatística, matemática, inteligência artificial, cloud computing e robótica. Para atuar na arquitetura de software, é preciso desenvolver estas habilidades:

  • Saber reconhecer estruturas comuns em sistemas já desenvolvidos;
  • Dominar técnicas de modelagem e metodologias de desenvolvimento de software;
  • Conhecer cases de arquitetura de software para a tomada de decisões em novos projetos;
  • Entender a estratégia de negócio da organização em que trabalha;
  • Ter uma boa comunicação, para apresentar o projeto para a equipe e clientes.

O ideal é que o profissional busque cursos de arquitetura de software, em especial uma pós-graduação, para aprimorar estas habilidades. Neste artigo, ensinamos como se destacar na carreira como arquiteto de software.

Qual é o perfil de um arquiteto de software?

Você é uma pessoa aberta a desafios? Gosta de estudar e aprender coisas novas? Se a sua resposta for afirmativa, a carreira de arquiteto de software pode ser para você.

Faz parte da rotina negociações, tomada de decisões, elaboração de planos e relacionamento com colegas e parceiros. Ou seja, por ser uma profissão estratégica, além do conhecimento técnico fundamental para atuar em tecnologia da informação algumas habilidades tornam-se essenciais. São elas:

  • Boa comunicação
  • Resiliência
  • Ser proativo
  • Ter senso crítico
  • Ter criatividade
  • Saber liderar

A combinação dessas habilidades com conhecimento técnico é o que provavelmente vai ser decisivo na contratação para uma vaga como arquiteto de software. É um cargo que exige muito do emocional e da capacidade estratégica da pessoa, e essas competências comportamentais que irão definir os rumos individuais ao longo da carreira.

Você já trabalha com tecnologia da informação e deseja ingressar na arquitetura de software? Para se destacar e ter acesso às melhores vagas e salários, ter uma boa pós-graduação é um diferencial. Além do contato com professores capacitados e experientes, o curso complementa o seu conhecimento e ajuda a alinhar os seus objetivos profissionais.

No curso Arquitetura de Software, Ciência de Dados e Cybersecurity da Pós PUCPR Digital, os alunos aprendem habilidades essenciais para ocupar cargos estratégicos de gestão, além de conhecer metodologias ágeis e a jornada DevOps.

A especialização é o primeiro passo para se destacar na carreira de arquiteto de software. Vamos iniciar esta jornada juntos?

Inscreva-se na pós-graduação em Arquitetura de Software da Pós PUCPR Digital

Sobre o autor

Bruna Giroldo

Bruna Giroldo

Analista de marketing de conteúdo da Pós PUCPR Digital. Escritora e entusiasta da educação digital e do futuro do trabalho.

Assine nossa newsletter e fique por dentro do nosso conteúdo.

x